sábado, 29 de junho de 2013

Há 55 anos, era inaugurada a 1ª linha de ônibus elétricos em Campos-RJ


Share on facebook

Chegada dos trólebus à cidade de Campos, vindo de Niterói
 Arquivo

Chegada dos trólebus à cidade de Campos, vindo de Niterói

No dia 29 de junho de 1958 (há 55 anos), foi inaugurada a primeira linha de ônibus elétricos, conhecidos como Tróley-bus.
Os veículos num total de nove, foram adquiridos do sistema de Niterói. Eram de procedência francesa, fabricados pela Vetra. A rede aérea atingiu um total de 27 km de extensão. Tal sistema operou por dez anos, sendo desativado em 1.967.
Em 1958 o Sine comprou nove trólebus Vetra franceses que haviam sido usados por Niterói e substituiu os veículos usados nas linhas próximas a estação ferroviária. Ônibus a diesel foram colocados em outras rotas nos anos seguintes e o último bonde em Campos, de prefixo 14, rodou até o cemitério do Caju em 15/11/1964. O serviço de trólebus foi encerrado em 12/6/1967 e os veículos foram vendidos em Volta Redonda, para desmanche.
O fim desta série de trolleybus Vétra e deste tipo de meio de transporte dá-se em 1967: em Campos o último circula em 12 de junho.
Os nove carros de Campos tinham como destino final Volta Redonda: aí são desmontados e convertidos em matéria-prima pela siderurgia...
CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE O TROLLEYS...
É similar aos ônibus convencionais, roda por meio de pneus de borracha sobre pavimento rodoviário normal, e não por meio de rodas metálicas sobre trilhos, como o fazem a maioria dos veículos elétricos (como trens ou bondes). A energia chega aos veículos através de hastes (denominadas tecnicamente como alavancas (português brasileiro) ou varas (português europeu), que ficam sobre a carroceria, em permanente contato com a fiação específica que acompanha o percurso (esta é diferente da dos bondes, conduzindo carga em dois fios). Os trólebus têm parte de sua estrutura elétrica baseada nos bondes que nos Estados Unidos são conhecidos como trolleys, daí o nome trólebus.
No Brasil os trólebus surgiram em 1949 na cidade de São Paulo. Vários sistemas seriam criados entre os anos 1950 e 1960 como os do Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Niterói, Porto Alegre, Salvador, Campos dos Goytacazes, Fortaleza entre outros, sendo a maioria destes extintos até o início da década de 1970. Restariam, daquela época, apenas os sistemas de São Paulo, Recife, Santos e São Bernardo do Campo.
A demanda por esse tipo de veículo despertou o interesse de empresas nacionais em produzirem trólebus localmente. O primeiro protótipo brasileiro, com um índice de nacionalização de 85% do custo, foi construído pela Villares em 1958 e entregue à CMTC, recebendo o prefixo 6007. Outras empresas posteriormente acompanharam a iniciativa, dentre as quais a Massari e Mafersa. A própria CMTC encarregou-se de reformar alguns veículos no final dos anos 1960.
Cronologia do Sistema de Ônibus Elétrico
  
1953

Realização de levantamento topográfico para implantação das linhas de trolleybus.
1954
Início da instalação da rede aérea . No dia 22 de setembro, chegada do primeiro trólebus, puxado por uma carreta, procedente de Niterói. No dia 25 de setembro, durante a Exposição Agropecuária, o veículo é colocado em exposição para o público.
1958
O S.I.N.E- Serviços Industriais do Norte do Estado adquire 9 trolleybus de segunda mão do sistema de Niterói. No dia 29 de junho, às 17 horas, com a presença do governador Miguel Couto Filho, inauguração da primeira linha de trolleybus, a linha 1, ligando a Praça São Salvador à estação de Campos pela Rua Alberto Torres.
1959
No dia 19 de fevereiro, inauguração de novo trecho de linha, transformando a linha 1 em circular pelas ruas Alberto Torres e Tenente Coronel Cardoso. Inauguração de novo trecho até o Parque Leopoldina. Mais tarde são inauguradas novas linhas, como a Caju – Usina Santo Antônio.
1960
A cidade sofre racionamento de energia elétrica durante 2 meses devido a uma forte descarga elétrica de uma tempestade que derrubou uma das torres de sustentação da rede de alta tensão em Conceição do Macabu.
1964
No dia 31 de agosto, porta-vozes do Governo do Estado, através de nota oficial, anunciam que os trólebus serão substituídos por ônibus a diesel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário