sábado, 30 de maio de 2015

BOM JESUS ITABAPOANA - RJ INAUGURA FEIRA DE PRODUTOS ORGÂNICOS











Foi inaugurada nesta sexta-feira (29/05) a primeira Feira de Produtos Orgânicos em Bom Jesus do Itabapoana. Os produtores montaram suas barracas no centro da cidade e nem a chuva, que caiu no início da manhã, espantou a clientela.
A feira é resultado do Projeto PAIS (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável), que começou há cinco anos no Noroeste Fluminense, e reúne Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente (SMAMA), SEBRAE, Fundação Banco do Brasil (FBB) e a Emater-Rio.
Na solenidade de abertura, o secretário da SMAMA, Sebastião Vieira, destacou que “oferecer produtos sem agrotóxicos é um passo muito importante para a comunidade e para os agricultores de Bom Jesus”.
Na ocasião, o vice-prefeito Jarbas Borges, que representou a Prefeita Branca Motta, agradeceu os esforço dos técnicos de todas as entidades envolvidas no projeto:
- A sustentabilidade se faz no dia-a-dia e esta parceria tem tudo para dar certo, pois nossos produtores são unidos e estão bem assessorados, afirmou.
As barracas montadas hoje reuniram plantadores de Bom Jesus e de Varre-Sai. Eles ofereceram ao público verduras (alface de vários tipos, couve, cebolinha, salsa, taioba, etc.), frutas (abacate, laranja, limão {galego e taiti}, maracujá e mexerica) e legumes (abóbora, cenoura, chuchu, mandioca, etc.).
A partir de 2010, os produtores que queriam trabalhar com orgânicos foram cadastrados e receberam visita de técnicos do SEBRAE. Em seguida, os aprovados receberam insumos de apoio, como caixas e bombas d’água, canos e adubo da FBB. A SMAMA entrou com o transporte desses insumos e apoio para que a terra fosse arada, além de prestar assistência técnica.
O trabalho também foi feito nos municípios de Natividade, Porciúncula e Varre-Sai. A partir daí, os agricultores formaram a Associação dos Produtores de Orgânicos do Extremo Noroeste Fluminense (APROENF). O projeto PAIS tem uma comissão de avaliação, com representantes de todos os municípios, que vistoria as propriedades pelo menos duas vezes por ano. A associação já tem hoje cerca de 50 membros.
A Feira de Orgânicos será realizada toda sexta-feira, das 6 horas às 11 horas em frente à Secretaria de Saúde (pracinha da Bíblia). Os interessados podem ligar para (22) 3833-9600 para mais informações.

Ascom PMBJI

Clínica da Família será inaugurada em Junho em Cardoso Moreira - RJ

A clínica se soma às 11 já entregues pelo Governo do Estado


















O município de Cardoso Moreira neste mês de junho inaugura uma Clínica da Família. Voltada para o atendimento contínuo aos pacientes, a unidade é essencial para a prevenção de doenças e também para o diagnóstico precoce. A clínica se soma às onze já entregues pelo Governo do Estado.
 O secretário de saúde do município Humberto Chaves Dias Junior relata que a Clínica da Família segue um modelo de estrutura com cinco consultórios para atendimento médico e para consulta de enfermagem, além de dois consultórios para atendimento odontológico.
 Cada equipe da Estratégia de Saúde da Família é composta por médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, odontólogo, auxiliar de saúde bucal e agentes comunitários de saúde.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

UMA VERGONHA O CARRO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA DE ITALVA ESTÁ EM BRASÍLIA-DF

Mais uma vez contrariando e passando por cima das Leis, o Prefeito de Italva, Leozinho viaja  para a Marcha dos Prefeitos em Brasília, no Veículo Gool Placa KOZ 6400, do Programa Bolsa Família, tendo como motorista Weider Nogueira, filho do Presidente da Câmara Wilson Nogueira, com o total consentimento do mesmo e da Secretária de Assistência Social, Leila Câmara. Muito me estranha é que os Responsáveis pelo mesmo, Prefeito e Secretária, não saber que a função específica desse veículo é para ser utilizado em atividades do Programa Bolsa Família, e que, eventuais desvios de finalidade devem ser denunciados ao MDS e a Rede Pública de Fiscalização. A Lei é clara que a utilização de bens e serviços adquiridos com recursos do IGD-M, estão vinculados somente aos Processos do PBF e do Cadastro Único.
Outro erro grave é que o referido veículo comprado com o referido recurso está sem a logomarca do Programa Bolsa Família.

Será que o Conselho Municipal de Assistência Social do Município está ciente desta viagem?   

PREFEITO LEONARDO GUIMARAES E SEU AMIGO MOTORISTA WEIDER NOGUEIRA



PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL WILSON NOGUEIRA, PAI DO MOTORISTA  WEIDER NOGUEIRA


PREFEITO DE CAMBUCI - RJ É AFASTADO DO CARGO

A COISA TÁ FICANDO COMPLICADA!!!!!!
O prefeito de Cambuci, no Noroeste Fluminense, Agnaldo Mello (PMDB), foi afastado do cargo pela Câmara de Vereadores, na noite desta terça-feira, por um prazo de 90 dias. O afastamento foi decidido por 8 votos a 1. Agnaldo é acusado, entre outras coisas, de superfaturar gastos durante o carnaval deste ano.
Neste período de 90 dias deve assumir o cargo o vice-prefeito José Defanti. Este é o segundo prefeito a ser afastado cargo no município. Em 2012, a justiça afastou o então prefeito Oswaldo Botelho (PSD), por suspeitas de fraude em licitação.
Filho do ex-prefeito Agnaldo Perez Mello, Agnaldinho, como é conhecido no município, mantém uma relação conturbada com o legislativo e com setores da sociedade civil organizada. Um dos episódios mais controvertidos deste comportamento conturbado, foi a intervenção no Hospital Moacyr Gomes Azevedo, que gerou uma crise sem precedentes na área de saúde.
A unidade que era administrada pela Associação Hospitalar de Cambuci e que chegou a ser considerado o sexto melhor hospital no Estado do Rio, após a intervenção, desativou o setor de internações e passou a transferir pacientes para outras cidades. Em recente inspeção do Ministério Público Federal (PMF), foram encontrados mais de dois mil medicamentos com validade vencida na unidade.
O afastamento, segundo os vereadores, foi por medida preventiva, para que o prefeito não atrapalhe as investigações. Caso haja elementos de convicção, a tendência é de que se instaure uma Comissão Processante para consumar uma cassação.
jornal O Diário

terça-feira, 26 de maio de 2015

PRESIDENTE WILSON NOGUEIRA NEGA PALAVRA A PRODUTOR RURAL

Na Sessão da Câmara Municipal de Italva, desta Terça Feira, dia 26 de maio, com a presença dos Vereadores, Wilson Nogueira, Alex Sandro, Dinho, Alcirlei Lima, Mazinho Macedo , Antonio Elias e Ademir Cararine, os Vereadores João Batista Nogueira e Joel Enfermeiro não estavam presentes na Sessão. O Secretário Municipal de Agricultura do Municiípio de Italva, usou a Tribuna, onde relatou as dificuldades encontradas para o bom andamento da Secretaria, em suas palavras o mesmo disse que “Encontra-se na Secretaria um total de quatro máquinas sem condições de trabalho e uma funcionando, manifestou que , diante das dificuldades os Produtos Rurais do Município, se disponibilizaram e m ajudá-lo perante os problemas enfrentados”.  Os Produtores que se entravam na Sessão confirmaram a declaração do referido Secretário. O Vereador Dinho fez alguns questionamentos, que foi imediatamente respondido pelo Secretário, em seguida o Vereador Ademir Cararine também se manisfestou em algumas questões e prontamente foram respondidas pelo Secretário Erivelton. Os Vereadores Alcirley Lima e Mazinho Macedo parabenizaram o Secretário pelo trabalho desenvolvido à  frente da Secretaria. O ponto negativo da referida Sessão, aconteceu quando o Sr. Alonso Delpino Lopes Filho, proprietário  Calcário Maravilha, que a vários anos fornece saibros para as estradas do nosso Município, pediu a palavra ao nobre Presidente Wilson Nogueira e este sem nenhum respeito aos Agricultores presentes não concedeu a palavra, alegando que o Regimento da Câmara não permite tal fala, terminando a Sessão, onde o mal estar tomou conta do ambiente. O Sr. Alonso se manifestou dizendo que “mais uma vez o Agricultor é proibido de falar na Casa do Povo. Agora muito me estranha é que, O Regimento da Câmara só é usado e só tem validado perante os interesses do mesmo.
O Sr. Alonso, Empresário respeitado, um Chefe de Família de uma idoneidade inabalada   dentro do Município, com serviços relevantes prestados a Sociedade Italvense sendo barrado pelo Presidente não deixando o mesmo  se pronunciar, sendo que , se Sr. Presidente Wilson Nogueira entrasse  em consenso com os Nobres Edis ali presentes poderiam chegar a um acordo e o Sr. Alonso se Manifestar.
Agora Sr. Presidente Wilson Nogueira Criar taxa de iluminação pública, taxa de bombeiro, que trouxe grandes transtornos a população, isso pode, mas, fazer  vista grossa ao seu Filho Weider Nogueira a desfilar com o Carro do Programa Bolsa Família, que tem por finalidade  o uso exclusivo do Programa, O Sr. se esquece do Regimento e das Leis que é Fiscalizar o Executivo  na qual proíbem  tal uso. ISSO É UMA VERDADEIRA VERGONHA.








sábado, 23 de maio de 2015

Prumo inicia nova turma do curso de capacitação para portuários

Trinta e três formandos da 1º turma foram contratados pela empresa

Aconteceu durante a semana a aula inaugural da 2º turma do curso de Capacitação Profissional para Trabalhadores Portuários, realizado pela Prumo em parceria com a Prefeitura Municipal de São João da Barra e o Grupo Incatep. Nesta etapa foram concedidas 120 vagas para capacitação de moradores do município de São João da Barra. O curso tem duração de um mês, com aulas diárias.
 Mais de 300 pessoas se inscreveram para o curso. A formatura da segunda turma está prevista para o final de junho.
 Emprego — Na 1º etapa, concluída em abril, 33 formando foram contratados pela Prumo para trabalharem no Porto do Açu. Os novos colaboradores participaram de uma ambientação para conhecer as áreas de atuação da empresa e fizeram uma visita aos Terminais 1 e 2.
 Agora, durante 30 dias, eles irão participar de um treinamento para conhecer os padrões e procedimentos operacionais do porto e terão cursos sobre as NR (Normas Regulamentadoras) obrigatórias.
 Porto do Açu — Com 17 km de píeres, o Porto do Açu está localizado em São João da Barra, no norte fluminense. Com área de 90 km², o empreendimento é formado pelo Terminal 1 (T1 - offshore) e pelo Terminal 2 (T2 - onshore).
 O T1 é dedicado a movimentação de minério de ferro e petróleo. Operacional desde outubro de 2014, o T1 já recebeu 13 navios. O terminal pode receber navios do tipo Panamax e Capesize, e está se preparando para receber navios maiores do tipo Very Large Crude Carrier – VLCC.
 O T2 está instalado no entorno de um canal para navegação, que conta com 6,5 km de extensão, 300 metros de largura e profundidade de, pelo menos, 10 metros em toda a sua extensão, chegando a 14,5 metros na sua maior profundidade. O T2 irá movimentar carga de projetos, contêineres, rochas, bauxita, grãos agrícolas, veículos, granéis líquidos e sólidos, carga geral e petróleo. O terminal também abriga uma área dedicada à indústria de suporte às operações de E&P de óleo e gás.
fonte: terceira via

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Campanha: doação de leite materno para bebês prematuros

Objetivo é aumentar o número de novas doadoras voluntárias e o volume de leite materno coletado e distribuído para recém-nascidos

leite-humanobanco_de_leite











O Ministério da Saúde lançou nesta quarta-feira (20) a Campanha Nacional de Doação de Leite Materno, que visa a aumentar as doações principalmente para bebês prematuros. O tema deste ano é “Seja doadora de leite materno e faça a diferença na vida de muitas crianças”.
A campanha foi lançada em comemoração ao Dia Mundial de Doação de Leite Humano, celebrado ontem (19). O objetivo é aumentar o número de novas doadoras voluntárias e o volume de leite materno coletado e distribuído para recém-nascidos, especialmente prematuros de baixo peso internados em unidades de saúde. Atualmente, o volume de leite materno coletado representa de 55% a 60% da real demanda no país.
“Nossa meta é que a gente consiga ampliar em 15% a doação de leite humano voltado prioritariamente para bebês prematuros. Um litro de leite humano vai auxiliar dez bebês prematuros. É fundamental que todas possam fazer parte dessa história”, destacou a ministra interina da Saúde, Ana Paula Soter.
Dados do Ministério indicam que, de janeiro a dezembro de 2014, foram coletados em todo o Brasil 184 mil litros de leite materno, beneficiando 178 mil recém-nascidos. Ao todo, 164 mil mulheres doaram leite neste período. De 2008 até 2014, aumentou em 11% no volume de coletas de leite materno no país.
“Hoje em dia, felizmente, as pessoas já têm noção da importância do leite materno”, avaliou o coordenador da Área de Saúde da Criança e Aleitamento Materno, Paulo Bonilha. Ele lembrou que a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de vida e o aleitamento complementar até os 2 anos ou mais.
Números apresentados pelo ministério mostram que o consumo de leite materno é capaz de reduzir a mortalidade infantil (crianças menores de 5 anos) em até 13%. No Brasil, 67,7% das crianças mamam na primeira hora de vida e a duração média do aleitamento materno exclusivo é 54 dias. Além disso, 41% dos menores de 6 meses tiveram alimentação exclusivamente por leite materno.
A rede brasileira conta com 215 bancos de leite e 98 postos de coleta. Atualmente, todos os estados têm pelo menos um banco de leite. O Distrito Federal é a única unidade federativa que consegue ter suficiência de leite humano para todos os prematuros.
De acordo com o Ministério da Saúde, com o leite materno, o bebê fica protegido de infecções, diarreias e alergias. Além disso, a criança cresce com mais saúde, ganha peso mais rápido e fica menos tempo internado. O aleitamento materno também diminui o risco de doenças como hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade.
Já para a mãe, a amamentação ajuda o útero a recuperar o tamanho original, diminuindo o risco de hemorragia e de anemia. As chances de adquirir diabetes ou de desenvolver câncer de mama e de ovário também diminuem significativamente com a amamentação.
Segundo a pasta, toda mulher que amamenta é uma possível doadora de leite humano. Basta estar saudável e não estar tomando nenhum medicamento que interfira na amamentação. Quem tiver interesse em doar leite materno deve procurar o banco de leite mais próximo ou ligar para o Disque Saúde no número 136.



sábado, 16 de maio de 2015

Cambuci - RJ : MPF encontra remédios vencidos e advogado denuncia caos em hospital

Agentes do MPF conduziram funcionários do hospital para a delegacia de polícia


Hospital Cambuci
Em prosseguimento à série de visitas para fiscalização nos hospitais da rede pública da região, com o objetivo de verificar possíveis irregularidades, o Ministério Público Federal (MPF) realizou na manhã desta sexta-feira (15) uma inspeção no Hospital Filantrópico Moacyr Gomes de Azevedo de Cambuci. Os agentes encontraram várias irregularidades como mais de 1.700 medicamentos vencidos. O responsável pela farmácia do hospital e outros funcionários da unidade foram levados para 142ª DP de Cambuci.
O advogado da Associação Hospitalar de Cambuci, Francisco Lins, disse, em entrevista ao  jornalista Roberto Barbosa, na rádio Diário FM, que o caos enfrentado pelo Hospital Moacyr Gomes Azevedo, na cidade de Cambuci, no Noroeste Fluminense, é uma das razões da superlotação do hospital Ferreira Machado e Hospital Geral de Guarus, em Campos.
O advogado destacou que,  com a desativação do setor e internação e outros serviços essenciais da unidade, os pacientes são removidos para cidades pólos, entre elas Campos em maior número, acentuando a rotina de remanejamento realizada por outras cidades de pequeno e médio porte sem estrutura hospitalar adequada.
“É uma situação grave. O hospital está enfrentando uma situação caótica desde que o prefeito Agnaldo Mello Filho decretou intervenção, assumiu a gestão e demitiu todos os funcionários”, disse o advogado.
fonte: campos 24 hs

quarta-feira, 13 de maio de 2015

MUNICÍPIO DE ITALVA-RJ ENTREGUE AS BARATAS.



Por este motivo que o Municípiode Italva-RJ.,  não vai a frente. Em um reunião com os Secretários e o Consultor Governamental Leandro Levone  que veio resolver os problemas do Município que está a beira do abismo, o Prefeito Leonardo Guimarães despreparado com o olhar perdido  e ao seu lado o Vice Prefeito Glycério Rocha, sempre omisso. Nesta foto, em Reunião na Prefeitura podemos ver claramente o Vice dormindo em plena reunião, e sem postura nenhuma de um governante ao sentar em uma Cadeira. Será que estamos caminhando para o Fundo do Poço. Verdadeiramente Italva está entregue as baratas.




terça-feira, 12 de maio de 2015

CINEMA ABANDONADO UMA REALIDADE NO MUNICIPIO DE ITALVA - RJ


Confira as fotos de Silvana Rust no distrito Cimento Paraíso


Muitos moradores de Italva não sabem, mas a cidade possui um cinema abandonado na localidade de Cimento Paraíso. O local, que fica ao lado do campo, já recebeu muitas famílias para exibição de filmes e até festas. Fechado há décadas, atualmente o cinema está infestado de maribondos e aranhas.
A equipe do Terceira Via conseguiu entrar no espaço e pode ver de perto a situação de abandono. Parte do telhado está caída e as cadeiras do térreo não existem mais. Da antiga telona, só parte da armação ainda existe. As madeiras que sustentam o telhado aparentam estar apodrecidas, assim como a fiação. E as cadeiras, que já deram lugar para quem ia se divertir no local, hoje dão espaço apenas para a poeira.
ESTE PATRIMÔNIO FOI DOADO PARA A PREFEITURA E ATÉ HOJE O GOVERNO MUNICIPAL NADA FEZ PARA A RESTAURAÇÃO DO MESMO.
























 FONTE: TERCEIRA VIA

sábado, 9 de maio de 2015

Ex-funcionários contam história da Fábrica Cimento Paraíso em Italva - RJ

Eles lembram do crescimento econômico na região à série de demissões na antiga fábrica de cimento


“Nós éramos uma grande família, não pagávamos conta de água, de luz, nem aluguel. Todo mundo se conhecia e ganhava bons salários na fábrica. Depois, a gente só via choradeira. Muito ‘chefe de família’ teve que mudar de profissão ou se mudar daqui e muitos entraram em depressão”. As palavras são do aposentado Altino dos Santos que, aos seus 75 anos, lembra com ar nostálgico de como era o bairro de Cimento Paraíso, em Italva, na época em que a fábrica do mesmo nome estava em pleno funcionamento e quando ela passou por uma demissão em massa.

A história da Companhia Cimento Portland Paraíso, que hoje chama-se Calcário Paraíso e produz apenas calcário, pode ser facilmente confundida com a dos ex-trabalhadores que ainda moram na antiga vila nos arredores da indústria. A reportagem do Terceira Via esteve no local e conversou com três ex-funcionários que acompanharam o desenvolvimento e o encerramento da produção de cimento na cidade.

A história da fábrica começa na década de 40, quando Italva ainda fazia parte do território da cidade de Campos. A Cimento Paraíso foi a 2ª fábrica do estado do Rio de Janeiro e a 10ª no Brasil e é considerada grande responsável pelo desenvolvimento naquela região.

“Tinha uma fábrica pequena aqui que fechou e foi leiloada, aí os novos donos perceberam isso e compraram. Eles começaram a produzir cimento com dois fornos americanos pequenos comprados de segunda mão. Em 1950 eles tinham mais dois fornos grandes e aí foi só crescimento”, lembra Altino dos Santos.

O cenário do bairro naquela época era composto por várias casinhas pequenas, ruas de chão e ambiente familiar. O local parecia desenvolver-se mais rápido do que o restante da cidade e tinha igrejas, time de futebol, e até um cinema (atualmente abandonado). A Fábrica Cimento Paraíso tinha cerca de 600 funcionários e vendia cimento para várias cidades, inclusive de outros estados.

“Lembro que na minha época todos os funcionários da fábrica eram homens, só duas mulheres trabalhavam como enfermeiras. Tudo o que eu sei na vida eu aprendi lá”, contou o aposentado Zeno Mendonça, de 86 anos.

Ainda na década de 40 a ponte Governador Edmundo Macedo Soares, que corta o Rio Muriaé, foi inaugurada. Isso colaborou ainda mais com crescimento econômico da região, já que antes a travessia era feita com ajuda de canoeiros.

“Na época que a fábrica funcionava, aqui era mais movimentado e nossos salários eram muito bons. Operários ganhavam uns cinco salários mínimos. Os donos eram ricos demais e ajudavam a gente com várias despesas, além de pagar o salário. Sou filho de operário da fábrica, comecei a trabalhar lá com 14 anos e fiquei por quase 25 anos”, lembrou o aposentado João do Couto, 61 anos.


DEMISSÕES EM MASSA:
Foi na década de 60, no período próspero da região, em que começaram as conversas sobre a emancipação de Italva. Anos depois, em 1982, a fábrica parou de produzir cimento e demitiu grande parte dos seus funcionários. Já em 1986, quando a emancipação enfim aconteceu, Italva já vivia uma época em que muitos desempregados haviam saído para buscar oportunidades em outras cidades.

“Quando lá parou de produzir cimento, eu saí da cidade para procurar emprego. Nesta época, eles venderam as casas pra gente por um preço bem barato, porque a gente morava nas casas da fábrica de graça e se não fosse assim, íamos ficar sem teto”, João do Couto, 61 anos.

Dos cerca de 600 funcionários mantidos pela fábrica, restaram apenas cerca de 150 após as demissões. Segundo os ex-funcionários, o encerramento da produção de cimento teria várias causas, como a não modernização, a morte de um dos donos e até dificuldade em encontrar minério no local. O que sabe-se é que as demissões surpreenderam centenas de famílias.

“Eram mais de 100 demitidos de uma só vez e nas vilas era muita ‘choradeira’. Tinha muita gente desempregada ao mesmo tempo e foi muito triste porque ninguém esperava isso. Nesta época, Italva já tinha se emancipado de Campos e muitos saíram daqui para procurar emprego. Eu fui ficando e saí da fábrica em 1995 porque eu fiquei adoentado”, contou Altino.

Em 1996 o grupo Holcim comprou a fábrica, que atualmente chama-se Calcário Paraíso. A extração é feita de jazidas nos arredores e segundo a empresa, ainda restam 120 milhões de toneladas de material para serem extraídas. Enquanto isso, logo ao lado, os ex-funcionários da antiga fábrica de Cimento Paraíso ainda moram no local e vivem de boas lembranças no pacato distrito de Cimento Paraíso.

“Aqui parece que andou pra trás, porque tinha tudo para evoluir, mas quando parou de produzir cimento, o crescimento também desacelerou. Gosto de morar em um lugar tranquilo, não tem quase ninguém na rua”, contou João do Couto.

Priscilla Alves




 ANTIGO CINEMA
 VILA OPERÁRIA
ANTIGA FÁBRICA DE CIMENTO PARAÍSO E HOJE CALCÁRIO PARAÍSO