quarta-feira, 31 de maio de 2017

JORNAL TEMPO NEWS ONLINE

















Dia Mundial Sem Tabaco em Bom Jesus do Itabapoana - RJ




O Dia Mundial sem Tabaco é comemorado anualmente em 31 de maio, e foi criado em 1987 pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como um alerta sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. No Brasil, o INCA é o responsável pela divulgação e elaboração do material técnico para subsidiar as comemorações em níveis federal, estadual e municipal.
Para exaltar o dia, a Prefeitura Municipal de Bom Jesus do Itabapoana por meio da Secretaria Municipal de Saúde realizou na manhã de hoje, 31 de maio de 2017, na Praça Governador Portella um evento de conscientização para alunos da rede pública e privada de ensino.
A equipe de profissionais da saúde realizou uma exposição impactante. Nela havia dentre vários itens: um caixão mostrando que o uso do cigarro leva a morte e um feto in vitro, evidenciando que o uso de cigarro na gravidez causa aborto espontâneo.
O prefeito, Roberto Tatu, esteve presente e acompanhou a exposição com os alunos. O secretário de saúde, Pedro Renato fez a abertura do evento e das palestras realizadas por Roberta Nascimento, enfermeira, que falou sobre os riscos de começar a fumar e os prejuízos causados a saúde de quem fuma e convive com fumantes, tornando-se assim fumantes compassivos ou involuntários; e pela dentista, Dr. Maria Amélia, que palestrou sobre os malefícios do cigarro para a saúde bucal e sobre câncer de boca.
O desfile dos personagens vivos do cigarro e da morte, juntamente com todas as atividades realizadas, cumpriu o objetivo da ação, que foi de despertar a atenção de crianças e adultos.
A exibição do vídeo com depoimentos de ex-fumantes também serviu como apoio, para quem fuma ou tem um fumante na família; mostrando que é possível e vale a pena parar de fumar. Alunos da escola Adventista fizeram uma linda apresentação cantando os hinos “Aleluia” e “Cristo vive em mim”.
De acordo com a enfermeira Micheli Batista Ferreira e Cheila de Souza Gomes coordenadoras do “Programa Antitabagismo” no município, os interessados em parar de fumar devem se dirigir até a unidade de saúde mais próxima de sua casa, pois todas possuem profissionais capacitados para dar o apoio necessário.
Entre as personalidades presentes: o presidente da Câmara de Vereadores, Léo Xambão, vereador, Sérgio Crisóstomo e a secretária municipal de assistência social, Gisele Garcia, secretário de obras, transportes e serviços públicos, Vinícius Borges além de Jonas Grillo, Secretário de Segurança Pública e Defesa Civil.








DECOM

Cemitério na Baixada Fluminense não sabe onde está sepultado corpo de Garrincha





Quando era vivo, o atacante do Botafogo e da seleção brasileira Manuel Francisco dos Santos, ou simplesmente Mané Garrincha, era impossível de ser marcado. Com seus dribles, deixava frequentemente os adversários no chão. Morto em 1983, aos 49 anos, em decorrência do alcoolismo, Garrincha foi sepultado no Cemitério municipal de Raiz da Serra, em Magé, na Baixada Fluminense. Agora, 34 anos após o funeral, o craque dribla, involuntariamente, quem procura por seus restos mortais.

Parentes de Mané e a Prefeitura de Magé confirmaram, nesta terça-feira, que não sabem onde está enterrado o jogador, bicampeão mundial na seleção.

A administração do cemitério admite a hipótese de que os restos mortais de Garrincha possam até ter se perdido durante um processo de exumação.
— Pelo que a gente pesquisou, não se tem certeza de que ele está enterrado. Houve uma informação de que o corpo foi exumado e levado para um nicho (gaveta no cemitério), mas não há documento da exumação — disse Priscila Libério, atual administradora do cemitério.
No local, existem duas sepulturas como o nome de Garrincha. A primeira é coletiva e fica na parte baixa do terreno. É o local onde originalmente Mané foi sepultado, além de outros parentes do craque.
A segunda fica na parte superior do cemitério. Distante 200 metros do primeiro túmulo, foi construída em 1985 pela Prefeitura de Magé, que marcou o ponto com um obelisco. Uma das filhas do jogador, Rosângela Santos diz que a família sofre sem saber onde Garrincha está sepultado:
— Meu pai não merecia isso
O corpo de Garrincha teria sido retirado, há cerca de dez anos, do túmulo onde originalmente foi sepultado. Segundo João Rogoginsky, de 70 anos, primo do jogador, outra pessoa da família morreu e precisou ser enterrada naquele jazigo. Ele foi informado, na época, de que a ossada do atleta foi retirada para ser colocada num nicho. Mas João não assistiu à exumação.
— Eu não vi. Só me disseram que haviam tirado e colocado num nicho na parte superior do cemitério. Não deram nenhum documento disso — afirmou.
A atual administração da Prefeitura de Magé descobriu, por acaso, que o destino do corpo é incerto. O prefeito Rafael Tubarão queria fazer uma homenagem ao craque, que completaria 84 anos em outubro. Ele procurou saber o local exato do sepultamento e recebeu da Secretaria de Ação Social um relatório de um recadastramento no cemitério, feito em anos anteriores, que dizia que o corpo tinha sido exumado. O documento se baseia em informações de João e Rosângela, que não presenciaram a exumação.
— Se a família concordar, faço exumação nas sepulturas. E um DNA para saber se algum corpo é o de Garrincha — concluiu Tubarão.
A sepultura onde Mané Garrincha foi enterrado originalmente, em 1983, tem pelo menos um erro de informação. A data da morte do jogador está incorreta. O craque morreu no dia 20/01/1983.
Na sepultura, a informação que consta é que ele morreu 20/01/1985, ou seja, dois anos após a data correta. A única semelhança é a de que as duas sepulturas onde consta o nome do craque estão em péssimo estado de conservação.
A filha de Garrincha disse que seu pai foi sepultado num jazigo que pertencia à irmã do jogador.
- Fui informada pelo cemitério que haviam tirado o corpo do meu pai do local onde havia sido sepultado. Era uma cova que pertencia a uma tia que também já morreu. Disseram que estaria num nicho, mas não se tem certeza de nada. Ninguém da família foi informado da exumação do corpo. É difícil para mim e para minhas irmãs não saber onde está o corpo do nosso pai - concluiu

terça-feira, 30 de maio de 2017

Realizado o 1° Festival do Café e da Sanfona Distrito de Bonsucesso em Apiacá - ES


Durante esse final de semana, a Prefeitura Municipal de Apiacá através de sua Secretaria de Arte e Cultura, realizou o 1° Festival do Café e da Sanfona de Bonsucesso, contando com grande presença de um público animado, curtindo esses dois dias de muita música e diversão.
Com uma estrutura de primeira qualidade, o evento recebeu as presenças de autoridades como o Prefeito Municipal, Fabrício Thebaldi; a Vice-Prefeita, Edilane do Kaká; além de Deputados Estaduais; Vereadores; Secretariado Municipal; Presidentes de Associações, além de moradores do Distrito e de toda região próxima.
A culminância do evento foi realizada na sexta-feira pela manhã, com as emocionantes apresentações dos alunos da EMEF Bonsucesso, contando a história do café. A tarde os palcos foram abertos, ao som de muita sanfona e shows com o DJ Esdras, a dupla Elizângela e Daniel, a banda 4 Estações, além do Concurso que coroou o Rei e a Rainha do Café. Fechando a primeira noite, um mega show com Ídolo Regional, Odair de Paula, cantando seus antigos e atuais sucessos que balançaram o público.
No sábado, a programação começou com apresentação de Capoeira na Praça local, dando segmento com um encontro de sanfoneiros, depois shows novamente com o DJ Esdras, cantor Daniel Monnerat, cantor Vinicinho Fragoso, a banda Chapas do Brasil e encerrando a noite com o grupo Trio Forrozão, principal atração do Festival, cantando seus sucessos conhecidos em todo país.
"Dizer obrigado, às vezes não é o suficiente para agradecer a esse povo acolhedor de Bonsucesso, que fez com que nosso Festival se tornasse esse sucesso... Fica aqui nosso agradecimento primeiro a Deus por nos proporcionar esse Festival e ao nosso Prefeito Fabrício Thebaldi, aos meus amigos Secretários que não mediram esforços, em especial a Secretária de Comunicação, Larissa Rangel e a todos os visitantes o meu muito obrigado. Que venha o 2º Festival do Café e da Sanfona de Bonsucesso", declarou o Secretário de Arte e Cultura, Nilo Canedo, via Facebook.
O Festival do Café e da Sanfona de Bonsucesso deve acontecer anualmente, seguindo a proximidade ao Dia Mundial do Café que se comemora no dia 24 de maio.

Colisão frontal com incêndio de grandes proporções deixa um morto

Uma carreta e um caminhão bateram de frente próximo ao pedágio. Outro motorista foi levado para o HFM









Por volta das 06h30 desta terça-feira (30/05) um grave acidente envolvendo uma carreta e um caminhão deixou um morto e outro ferido. A colisão frontal aconteceu no KM 31 da BR-101 (Campos/Vitória), próximo ao Pedágio.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista de um dos veículos teria perdido o controle da direção e atingido o outro caminhão que seguia na direção contrária. Após a batida houve incêndio de grandes proporções. O Corpo de Bombeiros foi acionado e conseguiu controlar as chamas.

Um caminhoneiro morreu no local, já o outro foi socorrido e levado para o Hospital Ferreira Machado (HFM).

A PRF informou ainda que a carreta transportava cobertores e o caminhão transportava bobinas de metal.

De acordo com a Autopista Fluminense, as duas pistas precisaram ser fechadas. Por volta das 9h, funcionários da empresa e peritos estavam no local para remover os veículos e liberar a via.

Fonte: Campos 24 Horas

Professor que usa a música para silenciar a guerra no Rio viraliza nas redes




 Roberto Ferreira toca quase 20 instrumentos e se orgulha de ter criado uma orquestra em uma escola de Antares. Hoje, dá aula para 700 crianças - Alexandre Cassiano / Agência O Globo

RIO — A cena é rotineira para crianças que estudam no Ciep Roberto Morena, em Paciência, mas desta vez foi filmada e, ao ser compartilhada no Facebook, teve mais de 200 mil visualizações em apenas três dias. Com violão nos braços, um professor canta com um grupo de pequenos para distrai-los de um tiroteio que ecoa do lado de fora da escola, em Paciência. Sentadas no chão, umas 30 crianças de até 11 anos cantam e gesticulam como se fosse dia de festa. Foi na manhã de sexta-feira, dia 26. Mesmo sem saber quem era o professor, o secretário municipal de Educação, Cesar Benjamin, compartilhou o vídeo em sua página na rede social, dizendo que “são esse heróis que seguram a rede” e “me dão força para prosseguir”.

— Tem muita gente me procurando, o próprio secretário acabou de telefonar. Quer me encontrar na quinta-feira — conta, surpreso, Roberto de Oliveira Ferreira, de 56 anos, que leciona há 14 na unidade escolar. — Já fiz isso muitas vezes. Quando acontece um tiroteio no entorno, as crianças pensam no pai, na mãe e entram em desespero. Coloco todas no corredor, que está sempre limpinho, e vamos cantar. Elas até esquecem dos tiros, é o milagre da música — resume.

Às vezes o “espetáculo” é breve, apenas quinze ou vinte minutos. Outras, dura quase o tempo de um show de verdade - houve dias em que a cantoria passou de uma hora. No episódio de sexta-feira passada, os tiros passavam muito perto da escola. O diretor adjunto pediu a Roberto que começasse a cantar. “Claro”, respondeu, já pegando seu inseparável violão. A maioria das músicas que ele ensina é de sua própria autoria, não raro em parceria com professores de outras disciplinas. No vídeo que viralizou, estão todos cantando “Criança esperança”. Diz um trecho: “Para brotar do meu peito / dentro do meu coração / muita alegria, mil fantasias, paz e mais compreensão. /Música, brindes e cores / sonhos de um mundo melhor / força criança, criança esperança / fé que levanta o astral”.

— Se você observar a coreografia verá que elas estão se comunicando em libras. Temos crianças com deficiência auditiva na escola, queria que todas participassem, por isso inclui essa segunda linguagem, depois de pedir às professoras que me ensinassem os gestos. Comecei a ver o brilho no olhar das crianças — conta o professor, casado e pai de duas filhas.

SEMINARISTA EM SÃO PAULO

Roberto é um homem realizado. Antes de se tornar músico, foi seminarista na cidade de Agudos, interior de São Paulo, onde aprofundou seus estudos em teoria musical e aprendeu instrumentos como piano, flauta e trompete — ele toca quase 20, incluindo vários instrumentos de percussão. Foi lá, entre os frades franciscanos, que conseguiu seu primeiro violão: em 1978, após vencer um festival organizado no seminário.

 Estudei por 60 dias, queria muito ganhar, fiz três composições. Era um violão simples, mas que foi muito importante na minha vida — conta, emocionado.

Desistiu do seminário e mudou-se para Petrópolis, onde fez o conservatório de música e, depois, formou-se em pedagogia e música na Universidade Católica (UCP). Cantava no coral da instituição, criado pelo renomado maestro Marco Aurélio Xavier. Depois de formado, voltou a morar em Xerém, onde foi criado, e lá abriu uma escola de música. Prestou concurso para lecionar no município em 2001. Começou a dar aulas na Escola Municipal Aldebarã, na favela de Antares, em Santa Cruz. Ele afirma que “ali começou a grande história da minha vida”.

— Numa sexta-feira, último tempo de aula, eu tinha uma turma de 5ª série. Milagrosamente, 80% da turma queria aprender a tocar flauta — recorda Roberto. — Nascia a Orquestra de Flautas Estrela Maior. Ganhamos o primeiro lugar no Festival da Canção das Escolas Municipais (Fecem), em 2005, com a música “Bicho do mato" (composição sua). Era uma pequena orquestra, as crianças tocavam “Wave”, “Garota de Ipanema”, “Maria, Maria”. Tocavam até uma sinfonia de Mozart em flautas doces de R$ 1,99.

Quanto mais aprendiam, mais aumentava a sede de aprendizado dos alunos. Com a ajuda dos pais, a turma confeccionava em sala de aula instrumentos como chocalhos, ganzás e triângulos. Roberto ficou quase dez anos em Antares. Saiu em 2010, após a escola trocar de diretor pela quarta vez em um ano. Diz que não conseguia mais fazer seu trabalho, que “não tinha mais apoio da direção”. Nessa época, já estava no Ciep Roberto Morena, onde ganhou outro Fecem, em 2009, com a canção “SOS Natureza” —, e também no Ciep Major Manuel Gomes Archer, em Santa Cruz. Hoje, o professor tem cerca de 700 alunos em vinte turmas, do 1º ao 6º ano.

— “SOS Natureza” foi feita em parceria com uma professora de Ciências. Um aluno de 10 anos cantava sozinho, era emocionante. Essa música se tornou um hino da escola, é cantada pelos alunos nas festividades. A gente pode usar a música para falar sobre meio ambiente, matemática, qualquer coisa — afirma.

Com sua experiência, Roberto poderia lecionar em colégios particulares, mas nunca quis. Sente que seu trabalho pode ter um impacto maior na vida das crianças em Paciência. Fez o concurso da prefeitura em um momento de muita dificuldade em sua vida. Sem saber o que fazer, aoinde ir, confiou no invisível.

— “Deus, vou aonde o Senhor me mandar”, eu rezava, e fui parar em Antares. Tremi quando cheguei lá. Era um prédio muito feio, com marcas de tiro. Havia um senhor sentado com um cajado na mão e várias cicatrizes no corpo: era o vigia do páteo — recorda. — Ex-alunos me procuram até hoje, são pessoas boas, pais de família, alguns tocam até hoje, um deles trabalha no Teatro Municipal e está estudando para ser maestro. Emprestei minha batuta para ele, anos depois ele me disse que havia comprado outra, mas pediu para continuar com a minha.

Roberto criou uma banda no Ciep de Paciência (”a garotada toca bonitinho, é a única escola com banda na região”). Com bumbo, caixas, tarol, pratos e a melodia guiada por uma lira, o grupo tem uns 20 alunos e ex-alunos. Ano passado foram oito desfiles com a banda nas comunidades do entorno da escola. Dos tambores saem músicas que vão de Ary Barroso a Tim Maia, passando também com canções cívicas e folclóricas. Nas horas vagas, Roberto também se dedica à música: semana passada compõs um samba em homenagem ao bairro de Santa Cruz, que completa 450 anos em 2017. Gosta de tocar com os amigos e de fazer uma seresta com samba canção, enquanto alimenta um sonho: que sua música “Criança Esperança” seja tocada no especial da TV Globo.

— Lá na escola as crianças adoram. A gente fica aqui nesse anonimato, mas quem sabe um dia esse sonho se realiza.



domingo, 28 de maio de 2017

Município Apiacá - ES promoverá seu primeiro motofest



No verão, as motos reluzentes dos mineiros cortam Apiacá, no Sul do Espírito Santo, a 200 quilômetros da capital, rumo às praias capixabas. Nos dias 2, 3 e 4 de junho, porém, o destino dos motociclistas é Apiacá, que terá seu primeiro encontro nacional de motociclistas com grandes atrações. O Apiacá Motofest, promovido pelo Moto Clube Guardiões da Divisa, vai reunir centenas de motociclistas capixabas, fluminenses e mineiros.

O primeiro evento realizado na cidade tem tudo para ser incluído no circuito motociclístico nacional. Uma das seis bandas que vão animar o Motofest, a Faixa Etária se apresenta no sábado, às 22 horas, levando para o público os grandes clássicos do rock com efeitos especiais para os motociclistas, moradores de Apiacá, Bom Jesus de Itabapoana, Bom Jesus do Norte, Calçado e toda a região.
Apiacá promove seu primeiro encontro de motociclistas, mas foi lá onde nasceu Marcelo Barroso, na infância conhecido como Biriba e mais tarde, no Rio, como Marcelo Prego. Ele ganhou o apelido carinhoso ao presidir o Moto Clube Pregos do Asfalto, do qual é presidente de honra. Ele organizou oito eventos nacionais em Miguel Pereira e fundou a Federação dos Moto Clubes do Estado do Rio. Vítima de um AVC, Marcelo vive acamado desde 2005.
— O primeiro evento de Apiacá promete ficar na história da cidade. Os telefones dos diretores do Moto Clube não param de tocar e até o prefeito da cidade, Fabrício Thebaldi, está convidando os amigos Bodes do asfalto para prestigiar o Motofest – disse o presidente do Moto Clube Guardiões da Divisa, Robert Oliveira.
Como a rede hoteleira de Apiacá é pequena, os motociclistas poderão se hospedar nos hotéis de Bom Jesus de Itabapoana (RJ) ou em Bom Jesus do Norte (ES), cidades que ficam a pouco mais de dez quilômetros de Apiacá. O Motofest terá camping, com café da manhã, para os motociclistas. No sábado, será um oferecido um churrasco aos visitantes. Com sede em Bom Jesus de Itabapoana, os Guardiões da Divisa já promoveram um evento em Bom Jesus do Norte e agora conta com o apoio da prefeitura para levar o encontro de motociclistas para Apiacá. Lulu Estradeiro será o locutor oficial do evento.
— Vamos levar um show que ficará marcado na memória dos moradores e dos motociclistas que vão participar do Motofest de Apiacá – prometeu Fabrício Araújo, baterista da banda Faixa Etária. Paulo Araújo.
Fonte: abc capixaba

CANTORA LAURIETE NA ASSEMBLEIA DE DEUS EM CÓRREGO DA CHICA - RJ




sábado, 27 de maio de 2017

FESTA DA UNIÃO DA MOCIDADE DA ASSEMBLEIA DE DEUS ITALVA-RJ


Neste sábado, 27 de maio, a Igreja Assembleia de Deus, sob a coordenação do Pastor presidente Paulo Fragoso, realizou a Festa da UMADI – União Mocidade da Assembleia de Deus de Italva, a festa que tinha o tema “Gerando Um Coração Comprometido com a Santidade” Hebreus 12:14.  

O evento contou com a presença de caravanas de São Pedro Paraíso, São Fidélis, São João do Paraíso, Cimento Paraíso,  contou também com a presença de vários adoradores dentre eles o Cantor Vinicius Clen.